13 de Maio de 2020

Guia de vendas

Não existe fórmula “milagrosa” para gerar lucros que não esteja relacionado a vendas, não importa qual seja o seu tipo de negócio. Isso ocorre devido ao impacto que uma venda pode causar à empresa, seja financeira ou de demanda.

Para que isso ocorra da forma desejada, o setor de vendas de seu negócio deve estar bem alinhado. Caso essa não seja a sua realidade, não se preocupe. Neste artigo, você irá conferir um guia completo de vendas, focado em ensinar as principais técnicas, sobre o que é necessário para aprimorar ainda mais as suas estratégias comerciais e dicas de empreendedorismo. Boa leitura!

Afinal de contas, o que são vendas?

Antes de começarmos a falar sobre as estratégias que podem revolucionar o seu setor comercial, vamos nos concentrar em entender o que são, de fato, as vendas. Isso porque, ao contrário do que muitos pensam, essa questão não é assim tão simples.

Basicamente, uma venda pode ser dividida em dois fatores, os quais podemos chamar de oferta e recompensa. A oferta é o seu produto, serviço ou o que você tem a oferecer, ao passo que, a recompensa, é o dinheiro que você recebe como troca.

No entanto, nem sempre a recompensa será o dinheiro. Basta pensar em um evento gratuito. Nele, enquanto as atrações do evento funcionam como oferta, a atenção e o tempo dos convidados funcionariam como recompensa. Ou seja, nem toda recompensa pode ser convertida em dinheiro.

Dessa forma, as vendas compreendem oferecer um item/serviço em troca de algo. Que tanto pode ser dinheiro, ou até mesmo o convencimento de pessoas sobre determinadas ideias e assuntos pertinentes ao seu nicho de atuação.

Entendendo o processo 

Logicamente, o seu produto/serviço pode não ser interessante para todos os públicos, porém, definitivamente você possui um público-alvo. São exatamente essas pessoas que você deve localizar e gerar um relacionamento, e o processo de vendas, tem o papel de auxiliar para que isso ocorra sem problemas. 

Para dar início, o primeiro passo é realizar pesquisas e conhecer o comportamento do seu público. Com isso, você conseguirá identificar possíveis padrões – os quais serão muito úteis para identificar fatores que devem ser mantidos ou excluídos do produto/serviço que você oferece.

De posse dessas informações, é hora de ir para o “ataque”. Afinal de contas, quem possui grandes dados não irá desperdiçará tempo e dinheiro tentando vender seus produtos/serviço seguindo apenas suposições. 

Depois da etapa de conhecimento de público, chegou o momento de conhecer quais são os tipos de vendas existentes.

Vendas simples

Como o próprio nome sugere, a venda simples é, de fato, muito simples. Ela consiste basicamente no tipo de operação onde o cliente já possui uma ideia prévia do produto ou serviço que procura, e apenas se comunica com o vendedor em caso de dúvidas.

Se essa comunicação for estabelecida, cabe ao vendedor atendê-lo bem e também garantir que a venda seja efetuada no mesmo momento. Aqui, em casos de lojas relacionadas ao comércio, é preciso saber lidar com o “só estou dando uma olhadinha”, no entanto sem acabar se tornando chato e cansativo.

Na finalização do tipo de venda simples, o vendedor também pode ser solícito e perguntar se o cliente necessita de alguma outro serviço. Em agências de marketing, por exemplo, caso o cliente assine um pacote de conteúdo voltado para redes sociais, cabe ao vendedor sugerir um outro serviço para complementar o já contratado, como um layout de site, por exemplo.

Vendas complexas

As vendas complexas, por sua vez, dizem respeito a todo um processo de convencimento do cliente. O qual, geralmente, só efetua a compra, após uma série de passos – o que pode levar algum tempo.

Nesse caso, como geralmente se tratam de vendas com valores maiores (e esse também pode ser um dos motivos para a demora na tomada de decisão do cliente), cabe aos vendedores atuarem também como consultores.

Afinal, o vendedor não deve apenas vender, ele precisa entender também qual é o problema e a necessidade do cliente, buscando juntos uma solução que seja eficaz e que corresponda ao que se é necessário.

Colocar em prática o perfil do vendedor que também é consultor é muito benéfico. Isso porque ajuda na fidelização dos clientes – que se sentem compreendidos ao terem suas necessidades supridas – tendo como resultado um investimento que gera lucros, além, é claro, de evitar futura “dores de cabeça”, principalmente nos processos de pós-venda e suporte. Ou seja, todos saem ganhando.

Caso tenha ficado com alguma dúvida, não exite em mandar uma mensagem em nossas redes sociais.

Compartilhar

Deixe um comentário